A vida não precisa ser uma bad trip. – Gestão por propósito

Tempo de leitura: 3 minutos

A vida não precisa ser uma bad trip.

Quem nunca ouviu aquela máxima de que aprendemos pelo amor ou pela dor?

Agora, já parou para pensar nisso no mercado de trabalho? Será que o resultado não é alcançado da mesma forma?

Ok, pela dor todo mundo conhece, aquele (ainda) tradicional modo de gestão, simpática, que coloca um cargo embaixo do nosso nome, no nosso cartão de visita, que nos definirá quem somos e como devemos nos comportar, como um badge, uma medalhinha que nos impulsiona a querer mais.

Mais status.

Mais reconhecimento.

Mais dinheiro.

E por falar nele, vem em forma de cenoura, uma na frente e outra atrás. Alcançou, ganha.

Eba! Novas badges. Vacilou... Na melhor das opções, rua!

E perde. Tudo...

Lá se foi o cargo, as badges, o status, o cartão de visita ( esse vira motivo de raiva ou desprezo ) lá se vão os "amigos".

Não, os inimigos declarados não. Esses permanecem, o mercado é um ovo e a gente sempre se cruza.

E o jogo segue e a gente sofre.

No automático e com uma angústia no peito.

Aliás, quem aguenta fazer algo pra buscar uma cenoura ou por medo da outra?

Quem aguenta fazer qualquer coisa por medo e dinheiro por muito tempo?

Quem suporta trocar seus valores morais por valores financeiros?

Não o ser humano comum e eu acredito nisso.

 

Bad-Trip-Navigate-My-Mind4

 

Então se pela dor todo mundo conhece, e já sofreu por isso, será que esse é o único jeito de alcançar um resultado?

Não. Definitivamente não.

Será que, se nós formos tratados como pessoas, de forma empática e honesta, podendo exercer nosso talentos, estes orientados a um objetivo que faça sentido real para nossa vida, não alcançaríamos um resultado muito melhor?

Será que trabalhar com um propósito que faça sentido pra gente não nos traz mais felicidade?

Será que a felicidade não nos gera mais resultado?

Quem nunca conheceu o furor de uma paixão?

Quem nunca fez uma loucura por amor?

Por amor, temos toda nossa energia realizadora em ação, com um objetivo tão claro que qualquer obstáculo será contornado e melhor, encarado com um bom indicador do caminho correto.

Só acaba quando termina e só termina, quando alcança. E ainda corre o risco de querer mais e não terminar nunca. Só crescer.

Missão dada é missão cumprida.

Mas não por medo, por acreditar.

Por se sentir parte.

Por fazer sentido.

E isso traz resultado.

Sem corromper nenhum valor moral para alcançar o então, realmente merecido, valor financeiro.

E isso traz mais resultado.

E por ser óbvio que tem que ser assim, isso realiza.

E ninguém nunca perde, só aprende.

A vida é uma experiência que temos pouquissímas certezas.

A que nascemos e morremos ( essa ainda pior, a qualquer momento ) e que, se olharmos para trás percebemos uma evolução, lembra que outro dia a gente nem andava?

Ah, e que ela é curta, as vezes curtíssima.

Daí eu pergunto, vale a pena uma vida sem sentido? Pra mim não. A vida não precisa, nem merece ser uma bad trip.

Good vibes!

Gustavo Andare

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *